Notícias

Pelo menos 49 mortos e 140 desaparecidos em barco de migrantes que afunda no Iémen: ONU

Os refugiados e os migrantes estão cada vez mais a seguir a rota perigosa, apesar da instabilidade no Iémen e das consequências da guerra em Gaza.

Pelo menos 49 pessoas morreram e outras 140 estão desaparecidas após o naufrágio de um barco que transportava refugiados e migrantes do Corno de África para o Iémen, segundo a Organização Internacional para as Migrações (OIM) das Nações Unidas.

O navio que naufragou na segunda-feira transportava cerca de 260 pessoas, principalmente da Etiópia e da Somália, que partiram da costa norte da Somália para viajar 320 quilómetros (200 milhas) através do Golfo de Aden para chegar ao Iémen.

Os refugiados e migrantes do Corno de África e da África Oriental enfrentam cada vez mais a perigosa viagem para chegar à Arábia Saudita e a outros estados árabes da região através do Iémen.

A OIM informou em comunicado na terça-feira que 71 pessoas foram resgatadas, oito das quais foram levadas ao hospital. Pelo menos seis crianças e 31 mulheres estavam entre os mortos.

Em Abril, pelo menos 62 pessoas morreram em dois naufrágios ao largo da costa do Djibuti, quando tentavam chegar ao Iémen. A OIM disse que pelo menos 1.860 pessoas morreram ou desapareceram ao longo do percurso, incluindo 480 que se afogaram.

Mais refugiados e migrantes estão a seguir esta rota, apesar dos efeitos devastadores de uma guerra de quase uma década no Iémen, que eclodiu depois de o grupo Houthi se rebelar e assumir o controlo de grandes áreas do país, incluindo a capital, Sanaa.

O fluxo migratório também não foi intimidado após a guerra de Israel na Faixa de Gaza.

Os Houthis alinhados com o Irão têm realizado durante meses ataques a navios comerciais e militares no Golfo de Aden, exigindo que Israel ponha fim à guerra em Gaza, com os Estados Unidos e o Reino Unido a responderem com ataques aéreos ao Iémen, num esforço declarado para proteger os interesses internacionais.

O número de migrantes que chegam anualmente ao Iémen triplicou entre 2021 e 2023, passando de cerca de 27.000 para mais de 90.000, informou a OIM no mês passado. A agência informa que cerca de 380 mil migrantes estão atualmente no Iémen.

O naufrágio do barco na segunda-feira “é mais um lembrete da necessidade urgente de trabalharmos juntos para enfrentar os desafios urgentes da migração e garantir a segurança dos migrantes ao longo das rotas migratórias”, disse o porta-voz da OIM, Mohammedali Abunajela.

Source link

Related Articles

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Back to top button